Artigo

Como Validar Ideias de Negócio

O que é a validação de ideias de negócio?

A validação de uma ideia de negócio consiste no processo através do qual se reúne um conjunto de informação relevante para determinar a relevância e o retorno do investimento num novo projeto ou iniciativa, assim como quais os recursos necessários para o seu desenvolvimento. Ao validar uma ideia a empresa está a confirmar o potencial de sucesso da mesma.

Num processo contínuo que vai desde a fase de ideação até à apresentação ao mercado, o principal objetivo da empresa é entender a viabilidade e potencial procura para o serviço ou produto. O desenho de um processo estruturado de ideação reduz o risco, minimiza os custos de implementação da ideia, acelera o lançamento do produto no mercado e permite evitar perdas desnecessárias, assim como a criação de um produto sem valor para o consumidor. A validação de ideias de negócio permite também determinar se o momento de implementação e desenvolvimento da ideia é certo e se a solução é suficientemente eficiente para o mercado.

Porque devemos validar ideias de negócio?

A validação de ideias de negócio é um processo fundamental para novas empresas assim como para empresas estabelecidas no mercado. A criação de um novo negócio é geralmente acompanhada por um espírito empreendedor, por parte dos fundadores, com várias ideias e objetivos definidos para o projeto. A validação de ideias permite à gestão selecionar aquelas que trazem mais valor para o cliente e empresa, assim como aquelas que a empresa tem capacidade para desenvolver e implementar. Este processo permite também evitar surpresas e prejuízos para a organização.

A incapacidade de validar boas ideias de negócio pode comprometer o desempenho na implementação de novos projetos. Fatores como o otimismo e a falta de perspetiva externa da organização podem gerar problemas derivados do isolamento da empresa no mercado, podendo a ideia parecer mais promissora do que é na verdade. Por outro lado, também o negativismo poderá comprometer o desenvolvimento de uma inovação dado o medo de falhar e arriscar. A geração de uma ideia, e a sua consequente validação, dependem do equilíbrio entre uma atitude empreendedora e cautelosa por parte da gestão, juntamente com a obtenção de feedback do exterior.

Validar o interesse do mercado para uma ideia de negócio

A validação de uma ideia de negócio pode ocorrer de duas formas: pela validação de problemas e pela validação de soluções. A validação de problemas surge da procura por uma situação, na origem da ideia, que desencadeie a necessidade de encontrar uma solução. Este tipo de validação é o mais seguro pois garante que a ideia desenvolvida pela empresa vai resolver um problema ou dor real do consumidor, logo terá maior probabilidade de resultar no mercado. A geração de ideias pela validação de soluções consiste na descoberta da melhor solução, de entre um conjunto de opções, que melhor se adeque ao mercado e ao tipo de consumidor em causa. Este tipo de validação requer um profundo conhecimento do mercado e do consumidor. Independentemente do tipo e solução escolhida, a validação de uma ideia de negócio tem sempre de vir acompanhada por testes no mercado para determinar o grau de aceitação da ideia.

Testar a Ideia de Negócio

O teste de uma ideia e negócio deve começar no círculo próximo do empreendedor ou da empresa: amigos, família, mentores e indivíduos próximos. Nesta fase procura-se feedback honesto e relevante mesmo que não vá de encontro às expectativas iniciais de desenvolvimento da ideia. É, também, nesta fase inicial que se colocam algumas questões relevantes para o desenvolvimento da ideia:

  • Onde se insere a minha ideia?
  • Que hipóteses tem a minha ideia de ter sucesso no mercado?
  • Quais os pontos fracos da minha estratégia?
  • Como posso realmente validar a minha ideia de negócio ou os meus produtos ou serviços?

Após a avaliação destes pontos o empreendedor está pronto para iniciar a validação da sua ideia.

Que fases devemos considerar?

A validação de uma ideia de negócio deve seguir um processo estruturado e facilmente replicável a outros projetos de ideação. As fases em que se subdivide a validação vão desde a identificação de oportunidades, até ao desenvolvimento ou descarte da ideia final.

1. Identificar Oportunidades

A identificação das oportunidades de mercado permite a análise daquilo que já existe, assim como a descoberta de novas ideias, ainda por explorar. No ponto de partida, é importante avaliar os diferentes cenários possíveis, potenciais referências no mercado, recursos necessários para implementação da ideia e a viabilidade do projeto. A descoberta de um produto já existente no mercado não deve desencorajar o esforço no desenvolvimento da ideia, pois existe sempre forma de melhorar ou desenvolver o produto existente oferecendo mais valor ao consumidor. Para tal é necessário entender o relacionamento do mercado com o produto atual e qual o potencial de melhoria do mesmo.

A identificação de oportunidades é uma fase de aprendizagem, por vezes dura para o empreendedor, mas necessária para garantir o sucesso da inovação.

2. Criar Hipóteses

A criação de hipóteses, durante o processo de validação, vai permitir ao empreendedor avaliar quais as premissas necessárias para o sucesso da ideia. Nesta fase é necessário compreender o que é realmente necessário para o desenvolvimento do negócio assim como quais os cenários mais difíceis que a empresa poderá ter de enfrentar na implementação da sua ideia. A definição das hipóteses permite salvaguardar a intenção da empresa, ou do empreendedor, e garantir a sua preparação para cenários indesejáveis, porém prováveis.

3. Definir e Conhecer o Público-Alvo

As necessidades específicas do consumidor diferem de grupo para grupo e podem determinar a relevância da inovação no mercado. A empresa deve garantir resposta ao maior número de necessidades do consumidor possíveis e para tal deve identificar com quem está a comunicar. A segmentação deve ser o mais restritiva possível e pode ocorrer por género, faixa etária, atividade do consumidor, ou outro fator relevante de acordo com a ideia em questão. Numa empresa já existente, é provável que o público-alvo ao qual a ideia se dirija já seja conhecido, o que facilitará a implementação da ideia.

A criação de personas está muito associada ao processo de ideação pois permite desenhar com elevada especificidade as características fundamentais do público-alvo da inovação, assim como as suas crenças, experiências e valores. Uma persona permite à empresa personificar o consumidor garantido uma comunicação – e um produto – direcionado às suas necessidades.

4. Pesquisar e Desenvolver um Protótipo

Após a definição do público-alvo segue-se a fase de pesquisa e desenvolvimento de um protótipo. Esta fase procede a definição do público-alvo de forma a garantir que o protótipo desenvolvido se adequa às necessidades do cliente. A empresa, ou o empreendedor, devem garantir um profundo conhecimento do produto, inovação ou negócio a desenvolver para assim definir o seu posicionamento ideal no mercado, em relação à oferta dos concorrentes. Nesta fase definem-se as especificidades do produto assim como os elementos diferenciadores da inovação no mercado, com elevado pormenor.

Minimum Viable Product

O desenvolvimento de um protótipo – Minimum Viable Product (MVP) – é fundamental para a validação do produto ou ideia a desenvolver, permitindo obter insights e feedback concreto através do desenvolvimento de um produto, sem a necessidade de um grande investimento. O protótipo deve ser tão semelhante quanto possível ao produto final, no entanto, sem grande investimento permitindo ao inovador ou à empresa redesenhar e adequar o produto quantas vezes forem necessárias. Nesta fase é possível apresentar ao consumidor o protótipo de forma a obter insights diretamente do público ao qual a inovação se dirige.

5. Procurar Opiniões de Especialistas

Após a implementação dos ajustes necessários ao MVP, e numa fase anterior à disponibilização da ideia no mercado, a empresa, ou o empreendedor, devem apresentar a inovação, num formato pitch, a especialistas da área para obtenção de críticas, feedbacks e observações. A visão de especialistas pode ser o boost de que a inovação precisava para se diferenciar e estabelecer no mercado. Com as melhorias implementadas, o produto ou ideia estão prontos a ser lançados.

6. Construir uma Identidade

A geração de uma ideia de negócio terá de vir associada a medidas legais de proteção evitando a sua cópia ou roubo, por concorrentes no mercado. A utilização de patentes e registo de marcas assim como a definição de termos de uso e de uma política de privacidade garantem a preservação da individualidade da ideia. A identidade da marca a proteger incluí o nome, endereço digital, produtos, imagem da mesma e qualquer elemento diferenciador e elegível para patente que a marca possua.

7. Lançamento no mercado e possíveis reajustes

O lançamento no mercado é o principal teste do sucesso da ideia. O feedback dos consumidores, assim como o desempenho da ideia vão permitir à empresa ajustar a inovação de forma concreta, com base nos dados recolhidos. A recolha destes dados é fundamental pois permite a obtenção das opiniões e reações reais do mercado numa escala considerável. Para esta recolha a empresa deve desenvolver digitalmente os seus processos, de forma a obter feedback através de fontes tais como questionários online e até de indicadores de mercado como o número de vendas e o volume de faturação.

O processo de geração de ideias de negócio culmina no desenvolvimento e expansão da ideia e poderá ser replicado para a testagem e implementação de ideias futuras. Apesar dos desafios inerentes à geração de novas ideias de negócio, como o possível fracasso da ideia, os seus benefícios associados são exponencialmente superiores podendo gerar a criação de um novo negócio.

#inovação e expansão

Receba as últimas notícias sobre o Kaizen Institute. Subscreva agora.

* campos obrigatórios

arrow up