O futuro do Sourcing

O futuro do Sourcing

Desde o início da pandemia que a cadeia de abastecimento global está a passar por diversos desafios. Estas perturbações já tiveram vários impactos nefastos na Indústria, nomeadamente a falta de matérias-primas que, em alguns casos, se traduziu na redução da cadência de produção ou até mesmo no encerramento de turnos. Apesar de existir uma previsão de crescimento do consumo mundial associada à implementação dos planos de vacinação, se os problemas da cadeia de valor não forem ultrapassados, as organizações não serão capazes de aumentar o seu volume de faturação. Assim, a função de Sourcing e de gestão do Supply Chain assume um papel crucial para o negócio, tendo as suas decisões impactos diretos no serviço ao cliente e nos resultados de qualquer organização.

O método tradicional

De uma forma histórica, existe um departamento de Compras focado no estabelecimento de contratos com os fornecedores e no acompanhamento do processo de compra. Esta área assume normalmente uma posição transacional, onde os fornecedores são vistos simplesmente como fornecedores de bens ou prestadores de serviços.

Sendo o departamento avaliado pelas poupanças no custo e não pela segurança das entregas e consequente garantia de faturação, o preço de compra mais baixo é o fator principal de decisão. Desta forma, quando é necessário recorrer a medidas extraordinárias para garantir a entrega dos componentes dentro do prazo, como a utilização de transportes prioritários ou a aquisição dos materiais a um preço premium, o incremento dos preços é muitas vezes alocado a outros departamentos da empresa.

Apesar de, na maioria das empresas, existirem vários fornecedores para os mesmos materiais, com o intuito inicial de comparar os preços e aumentar a capacidade de negociação, existe um desconhecimento generalizado do número de fornecedores existentes, já que cerca de 50% dos fornecedores das empresas estão inativos e o tempo dedicado ao desenvolvimento dos mesmos é inferior a 1 dia por mês.

Sourcing 4.0: Uma mudança disruptiva de paradigma

Como abordagem holística, o Sourcing engloba as funções de aprovisionamento, compras e fornecimento. O aprovisionamento ou procurement são todas as atividades relacionadas com a procura de novos bens, serviços e fornecedores no mercado e a sua negociação tendo em contas as necessidades da empresa. Já as compras dizem respeito ao estabelecimento de contratos com os fornecedores e o acompanhamento do processo desde a aquisição até ao pagamento. Por último, o fornecimento tem como objetivo a gestão do fluxo de entrega de bens e serviços.

A área de Sourcing deve adotar assim um papel estratégico, centrado no lucro como um todo e avaliando o Total Cost of Ownership. Sendo uma função interdisciplinar, deve ter uma posição lado a lado com a área Comercial, o Desenvolvimento e a Produção, na formulação e implementação da estratégia empresarial e no planeamento da procura e da capacidade.

Com base no poder de procura da empresa e no poder de fornecimento das fontes externas, deve ser desenvolvida uma estratégia à medida de cada categoria para maximizar a criação de valor. Os fornecedores devem então ser vistos como parceiros de negócio, onde a inovação, a qualidade, o valor a longo prazo, o risco e a sustentabilidade passam também a ser considerados. É muito importante também garantir que a comunicação com estes parceiros é feita exclusivamente através deste departamento, passando uma única mensagem de forma clara e simples.

Para garantir a transparência da cadeia de valor, torna-se fundamental a implementação de ferramentas digitais que permitam a visualização em tempo de real nomeadamente do estado das várias encomendas e dos níveis de stock dos materiais. Este conjunto de indicadores, também denominado como control tower, irá suportar a equipa de Sourcing na tomada de decisão e na avaliação da performance dos vários fornecedores. Nestes modelos de avaliação é essencial incluir indicadores relacionados com o nível de serviço tais como atrasos ou falhas nas entregas. Tecnologias como RFID ou Blockchain podem também ser extremamente úteis para a rastreabilidade na cadeia de valor, ao permitir uma monitorização contínua do estado e localização de cada material.

Para complementar, é essencial que sejam implementadas rotinas de comunicação entre, pelo menos, a Produção, o Sourcing e a área Comercial. Nestas war rooms, os indicadores chave são analisados e são tomadas decisões de planeamento. Assim, torna-se fundamental que as equipas de Sourcing sejam também dotadas de recursos humanos competentes a nível técnico e comercial e que sejam vistas como parte de uma carreira atrativa dentro da empresa.

    Recent Posts

     

    Está interessado nos serviços de consultoria do Kaizen Institute?

    Ajudamos as equipas dos nossos clientes a melhorar os resultados, colocando em prática paradigmas inovadores.

    Está interessado nos serviços de formação do Kaizen Institute?

    O Kaizen Institute apresenta um programa diferenciador de treino que garante a aprendizagem da teoria através da prática, bem como visitas benchmark.

    Newsletter

    Receba as últimas notícias sobre o Kaizen Institute. Subscreva agora.

    * campos obrigatórios

    arrow up