Building Back a Better World

Building Back a Better World

A pandemia da COVID-19 trouxe desafios sem precedentes não só para governos, mas também para empresas e particulares. Assiste-se por todo o mundo a colaborações notáveis entre indústrias, inovação rápida e ágil e a uma verdadeira consciência social global.

Para potenciar a COVID-19 enquanto catalisador de uma mudança positiva e para construir um mundo melhor, o Kaizen Institute reuniu mais de 1000 participantes provenientes de mais de 70 países numa conferência virtual global para angariação de fundos. O Kaizen Institute angariou verbas para o COVID-19 Response and Recovery Fund da ONU, para apoiar os países de baixo e médio rendimento na superação desta crise de saúde e de desenvolvimento.

A conferência Build Back Better, moderada por Risa Imai Cox, contou com a presença de um painel de especialistas em KAIZEN™ e em economia, nomeadamente, Art Byrne, Bob Emiliani, Euclides Coimbra e Ola Grytten, que apresentaram perspetivas e insights valiosos para os próximos meses.


Os períodos negativos representam um novo ponto de partida para o crescimento

Ola Grytten, Professor na NHH na Noruega e Assessor Especial do Norges Bank, explorou as mudanças económicas que já estão a ocorrer e o seu possível impacto no próximo ano.

A situação atual de 2020 comporta um cenário difícil no qual se estima que 70% dos países do mundo se encontrem em recessão e que 90% apresentem um crescimento negativo per capita. Em que medida é esta crise diferente das anteriores? O Professor Ola Grytten descreve esta situação como uma crise de oferta, ao invés de uma típica crise de procura. Isto significa que nesta crise, para além do apoio dos bancos e governos, é necessária também a intervenção das empresas. Estas devem apostar na inovação dos produtos, na procura de novos mercados e no aumento da produtividade.

Com os olhos postos no futuro, Ola Grytten salientou que aqueles que forem proativos na melhoria dos processos de inovação de produto, capazes de encontrar novos mercados e criar uma disrupção nos modelos de gestão, serão aqueles que irão conquistar posições de liderança. Prevê-se que a economia recupere em 2021 com um crescimento per capita superior à contração de 2020 e com um número de países com crescimento negativo inferior ao de 2019.


Reestruturar a organização tradicional para potenciar os resultados

Art Byrne, CEO reformado da The Wiremold Company, quebrou o paradigma tradicional e guiou os participantes pela viagem de transformação de uma organização com vista na obtenção de resultados disruptivos.

Como primeiro passo para uma transição KAIZEN™, a gestão de topo deve garantir a mentalidade adequada: foco na eliminação dos desperdícios para encurtar os lead-times e ganhar uma vantagem competitiva; liderança a partir do topo, com a gestão à frente - no terreno - a participar e a comunicar; e, por último, transformar as pessoas, elevando-as e ajudando-as a adquirir novas competências.

Depois de garantida a mentalidade, Art Byrne aponta a importância de aplicar os princípios lean: trabalhar em função do takt time em fluxo unitário, garantir a normalização do trabalho para melhorar processos e implementar um sistema pull desde o cliente ao fornecedor. Estas mudanças requerem uma melhoria da estrutura organizacional, que passa pela transformação de organizações funcionais em organizações baseadas no fluxo de valor. Pela experiência do orador, as empresas funcionais apresentam um excesso de 25%-40% de pessoal e de espaço. As rotinas de gestão devem também mudar de uma visão mensal retrospetiva para uma gestão diária com vista no futuro.

"As empresas fortes são as que saem das recessões melhores do que eram"


Romper com o status quo

Bob Emiliani, Autor e Professor da Universidade Central de Connecticut , explicou como as preconceções e o consequente enviesamento cognitivo atuam como obstáculos à mudança organizacional. A aceitação do status quo equivale a ignorar as oportunidades, o que leva à estagnação e ao caos. O orador encoraja os participantes a desafiar o status quo, assim como a realizar processos de tentativa e erro para que seja possível alcançar melhores resultados do que os que tiveram no passado.

O professor Bob Emiliani salientou ainda que a maioria dos CEO ignora o KAIZEN™. Referiu que estes podem optar por cortes orçamentais, contudo isto não constitui melhoria. O KAIZEN™ e a melhoria focam-se nas pessoas ao fomentar a sua criatividade e engenho. Isto pode ser alcançado através da descentralização da melhoria para aqueles que realizam o trabalho. Estes irão melhorar os processos e ganhar mais tempo para desenvolver competências e capacidades, contribuindo desta forma para um maior crescimento da organização.

"Não nos podemos esquecer que estamos num ambiente competitivo constante e só aqueles que apostam na melhoria conseguem ser bem-sucedidos."


Reconstruir, Reimaginar, Reinventar

Euclides Coimbra, sócio-gerente do Kaizen Institute Western Europe, conduziu a audiência através do processo Reconstruir, Reimaginar, Reinventar: A estratégia KAIZEN™ para a recuperação.

Ao recuar na história, Euclides Coimbra demonstrou como as crises passadas foram um fator de mudança para a maioria das empresas, e como aqueles que foram capazes de se adaptar saíram mais fortes. Prevê-se que o mesmo aconteça desta vez, com a maioria das empresas a lutar pela adaptação e recuperação, sendo muito provável que surjam soluções inovadoras em termos de produtos, serviços e modelos de gestão.

Nesta ótica, foi introduzido o conceito de empresa “Wave Rider” Este conceito representa as empresas que prosperam após uma crise, devido à sua rapidez na implementação de processos de reestruturação adaptados às mudanças do contexto alterado. Assim, encontra-se na base de cada empresa "Wave Rider” um sistema proativo de melhoria contínua baseado nas pessoas.

Para transformar a sua organização numa “Wave Rider”, os líderes devem começar por incorporar nas suas equipas as três competências KAIZEN™ que se seguem:

• Gestão diária ágil - melhoria iterativa diária dentro das equipas

• Melhoria do Value Stream - melhorias disruptivas em equipas multidisciplinares

• Melhoria disruptiva - Identificação e gestão das 3-5 iniciativas disruptivas

Com o apoio destas três capacidades KAIZEN™, as “Wave Riders” procuram melhorar não só a sua cadeia de abastecimento e operações ou serviços, mas também os processos de vendas e marketing e as estruturas de inovação e de desenvolvimento. Para assegurar a direção correta e facilitar a implementação, estas empresas possuem processos estratégicos fortes apoiados numa estrutura organizacional ágil.

“A sobrevivência do mais rápido”- as empresas mais rápidas a alcançar a disrupção serão aquelas que irão superar a crise


A rotura radical trazida pela pandemia propicia oportunidades sem precedentes para as empresas reinventarem e reconstruírem um mundo melhor, mais sustentável e mais resiliente. Os princípios KAIZEN™ estão a orientar as organizações através destes tempos difíceis para que estas possam alcançar resultados inovadores e saírem mais fortes.

Veja à versão gravada da conferência para saber mais sobre o impacto da pandemia na economia e sobre como as empresas podem reagir rápida e decisivamente durante e após esta crise, com vista a prepararem-se para um pós-crise robusto https://conference.kaizen.com.

Recent Posts

 

Está interessado nos serviços de consultoria do Kaizen Institute?

Ajudamos as equipas dos nossos clientes a melhorar os resultados, colocando em prática paradigmas inovadores.

Está interessado nos serviços de formação do Kaizen Institute?

O Kaizen Institute apresenta um programa diferenciador de treino que garante a aprendizagem da teoria através da prática, bem como visitas benchmark.

Newsletter

Receba todas as últimas novidades sobre o Kaizen Institute. Subscreva agora.

* campos obrigatórios

arrow up