O papel dos standards na reativação da Economia

O papel dos standards na reativação da Economia


Antes da pandemia, o mundo compreendia intuitivamente o crescimento linear mas tinha dificuldade em compreender o crescimento exponencial. Também em termos de saúde pública a sociedade evoluiu, tendo aumentando a consciência da importância da higiene, principalmente, o impacto de lavar as mãos. As acções que têm tido um maior impacto na resolução da pandemia Covid-19 estão relacionadas com o poder dos standards e do seu cumprimento.

Analisando as tendências de contaminação dos vários países, é possível identificar onde existiram standards e onde foram ou não cumpridos. Os países vizinhos da China, como por exemplo o Japão (berço do Kaizen), Singapura ou mesmo Macau, conseguiram minimizar o impacto de contaminação da Covid-19 porque dispunham de standards robustos para situações de pandemia. Este conhecimento foi adquirido com a contaminação do SARS em 2002 e permitiu uma resposta rápida e eficaz nesta segunda pandemia. Em algumas fábricas na Rússia, em 2005, já era possível encontrar afixados planos de contingência de como proceder em caso de guerra química, de ataque nuclear ou mesmo em caso de invasão pelos americanos. Todos os colaboradores conheciam aqueles standards e por isso estavam preparados para qualquer situação.

O cumprimento dos standards garante resultados consistentes e sem variabilidade. Na falta de cumprimento ou mesmo da existência dos procedimentos, os resultados podem ser aleatórios e conduzir a cenários não desejados. Isto verifica-se quer ao nível dos comportamentos do quotidiano, como o cumprimento da distância social ou do confinamento, como também nos procedimentos a seguir para uma retoma bem sucedida. Não se pode esperar a resolução de um problema mantendo os comportamentos que anteriormente o criaram, sendo assim imperativa a mudança para um novo normal.

Na retoma, os diferentes setores da economia enfrentarão desafios de magnitudes distintas. Contudo, todos terão de adquirir a competência e a disciplina necessárias para alterar comportamentos e cumprir standards. Um standard (norma), na linguagem Kaizen, representa a melhor forma para realizar uma determinada tarefa, a forma mais fácil, mais simples, mais rápida e mais segura, conhecida até ao momento. Os standards devem ser simples, objectivos e únicos, isto é, uma só norma em vigor a cada momento para uma determinada tarefa. Neste âmbito, cada setor da economia começará por definir os procedimentos que garantem o cumprimento da legislação em vigor, não descurando a atenção com a eficiência e a qualidade do seu serviço. Não só as atividades de atendimento ao público terão a responsabilidade desta adaptação, como as empresas como um todo terão de se transformar, desde as operações até às atividades de suporte.

Esta pandemia criou um movimento emergente de mudança comportamental a nível global. As diferentes culturas serão sujeitas a um desafio de adaptação sem precedentes, que será tão mais difícil quanto menos presente estiver a cultura de melhoria contínua. O reforço diário destes comportamentos dentro das empresas deve ser coordenado pelos líderes, liderando pelo exemplo e ajudando a moldar o comportamento dos seus colaboradores, não só como colaboradores mas também como cidadãos.

Recent Posts

 

Está interessado nos serviços de consultoria do Kaizen Institute?

Ajudamos as equipas dos nossos clientes a melhorar os resultados, colocando em prática paradigmas inovadores.

Está interessado nos serviços de formação do Kaizen Institute?

O Kaizen Institute apresenta um programa diferenciador de treino que garante a aprendizagem da teoria através da prática, bem como visitas benchmark.

Newsletter

Receba todas as últimas novidades sobre o Kaizen Institute. Subscreva agora.

* campos obrigatórios

arrow up