Três caminhos para controlar o erro

Três caminhos para controlar o erro

Nem sempre o erro significou fracasso. A criação dos famosos “post-its” de Spencer Silver, é um dos exemplos mais brilhantes disso mesmo. 

O químico procurava desenvolver o adesivo mais forte do mundo, mas, involuntariamente, fez exatamente o oposto, criando um adesivo que cola e descola facilmente em qualquer superfície, sem deixar marca. 

Esta história teve um final feliz. No entanto as boas práticas mostram-nos que o melhor é não fazer e não passar o erro. Quando o erro acontece deve retirar-se o maior partido: reutilizar ou prevenir para evitar a recorrência. Conhece a expressão, “mais vale prevenir do que remediar”? De certo que lhe é familiar e que em algum momento da vida já a proferiu ou ouviu. É aqui, que o conceito “Qualidade Autónoma” se assume com o objetivo de não fazer e não passar o erro. Com a atual conjuntura global, o espaço para o erro torna-se cada vez mais pequeno e as empresas são chamadas a monitorizar a sua ocorrência e a extingui-la, para conseguirem dar resposta às exigências do mercado. 

Aproveitar o potencial do trabalhador, promovendo o autocontrolo e o trabalho em equipa, faz com que o erro seja analisado em conjunto e que, caso seja detetado, possa ser estagnado antes de avançar para o processo seguinte – evitando, assim, a sua propagação. A ideia é que o colaborador seja capaz de normalizar o trabalho e garantir a capacidade do processo. A não execução e deteção do erro é necessária, assegurando maior eficiência e eficácia da execução – afetando positivamente os resultados das empresas. 

Através do conceito de qualidade autónoma surgem três meios de auto qualidade – complementares e combinados em função do método que os aplica e dos seus intervenientes (pessoal, equipamentos e produtos/serviços) – que se apresentam aptos para conferir estabilidade ao processo. Conheça estes três caminhos capazes de prevenir a ocorrência de erros e a transmissão de defeitos: 

 

Normas de Execução: é através da aplicação das normas de execução que se consegue evitar “fazer defeitos”. O seu cumprimento permite:

  • Preservar o conhecimento;
  • Orientar a delegação de tarefas;
  • Garantir produção, qualidade, custo, delivery, segurança e motivação;
  • Servir de base de treino e base para auditorias;
  • Evidenciar relação de causa-efeito;
  • Facilitar a gestão, manutenção e melhoria do serviço;
  • Evitar recorrências;
  • Controlar a variabilidade. 

 

Normas de Inspeção: o colaborador aplica estas normas de forma a evitar “passar defeitos” e a proceder com autocontrolo, com o objetivo de poder: 

  • Deliberar sobre a conformidade do produto/serviço;
  • Isolar os produtos/serviços com erros;
  • Avançar apenas produtos/serviços em condições, para o processo seguinte. 

 

Poka-Yoke: com este sistema é possível evitar a ocorrência de defeitos, seja na produção ou na sua transmissão. À prova de erros, o Poka-Yoke permite que os processos sejam melhorados constantemente, de forma a evoluir de um sistema de deteção, para um sistema de anti-erro.

O conceito “qualidade autónoma” perfilha a filosofia Kaizen, que assenta numa melhoria contínua, onde a participação de todos os colaboradores é fundamental para aperfeiçoar os processos e desempenhos da organização, eliminando a ocorrência e a transmissão de defeitos. Monitorizar, detetar, compreender, estagnar, “não fazer”, “não deixar passar” e “não voltar a fazer” o erro são algumas máximas, para que todos possam aprender com ele e impedir que volte a ocorrer. 

Assim, apesar de se assumir “o erro” como uma condição natural ao ser humano, este pode ser monitorizado e eliminado. Para colmatar o erro e não o repetir devemos ter uma atitude proativa de melhoria contínua, capaz de aproveitar as sinergias de todos os elementos de uma equipa que, autonomamente, rumam juntos para atingir o sucesso.

 

[Este post foi originalmente publicado em www.dinheirovivo.pt]

Recent Posts

 

Está interessado nos serviços de consultoria do Kaizen Institute?

Ajudamos as equipas dos nossos clientes a melhorar os resultados, colocando em prática paradigmas inovadores.

Está interessado nos serviços de formação do Kaizen Institute?

O Kaizen Institute apresenta um programa diferenciador de treino que garante a aprendizagem da teoria através da prática, bem como visitas benchmark.

Newsletter

Receba todas as últimas novidades sobre o Kaizen Institute. Subscreva agora.

* campos obrigatórios

arrow up