As Equipas de Gestão nas empresas de Excelência

As Equipas de Gestão nas empresas de Excelência

No contexto económico global e ultra competitivo em que todas as empresas concorrem torna-se vital a aposta contínua na melhoria da qualidade de produtos e serviços, no aumento da rentabilidade, no investimento em inovação, na abertura para novos mercados e na redução de desperdício. 

Esta é a orientação que, atempadamente, cada empresa deve seguir internamente para continuar a crescer, independentemente da turbulência que possa advir do panorama interno ou externo. Porém, na prática, só algumas empresas – nomeadamente aquelas que adotam processos de excelência – conseguem aplicá-la. Se estamos perante objetivos que todas as organizações cobiçam, por que é que só algumas realmente conseguem alcançá-los?

As empresas de excelência são-no porque implementam processos de excelência transversais a toda a organização. Ao invés de começar desde logo por impor metas às equipas que estão no terreno e ficar à espera que daí surjam resultados práticos, o primeiro passo para levar a cabo uma transformação KAIZEN™ Lean reside na aplicação da estratégia de melhoria às próprias equipas de gestão, para obter da sua parte total comprometimento e envolvimento. As equipas de gestão das empresas de topo fazem-no e, por isso, estão mais focadas na resolução dos problemas, mais empenhadas em dar apoio a quem está no terreno e na liderança através do exemplo. Fruto da aplicação do método KAIZEN™ neste nível hierárquico, estas equipas evidenciam uma maior clarividência na definição e implementação estratégica de metas, que lhes permite aprimorar a seleção e priorização de projetos. 

Há efetivamente um conjunto de características que distingue o comportamento de uma liderança tradicional do comportamento de uma liderança lean. As equipas de gestão Lean procuram a otimização global através da redução do desperdício, acreditam no potencial das normas e encaram os colaboradores como bens. Quando surge um problema, param para resolvê-lo e deslocam-se ao terreno para ver com os próprios olhos. Apostam num planeamento certeiro, que resulta numa ação rápida e eficaz, e defendem que todas as pessoas de uma organização, independentemente do seu lugar na hierarquia, são capazes de resolver os problemas. Em oposição, as equipas de gestão tradicionais consideram que as normas limitam a criatividade, têm por hábito encobrir os problemas e fazem análises distantes de onde a operação acontece. Tendo em conta esta premissa, a análise dos processos acontece à distância; os colaboradores são encarados como custos; e a ação no terreno é lenta. Para estas equipas de gestão, os especialistas são os únicos capazes de resolver os problemas. 

Para beneficiar de uma transformação KAIZEN™ Lean, as empresas devem cumprir três premissas básicas:

1. Comprometimento da gestão de topo – que deve fazer um compromisso forte e visível, participar diretamente na implementação do sistema KAIZEN™ e instruir os gestores de nível intermédio a fazer o mesmo;

2. Todos os colaboradores devem participar no sistema;

3. As empresas devem apostar numa estrutura sólida para formar líderes competentes e para fornecer aos colaboradores as competências práticas necessárias. 

Cumpridos os requisitos básicos, a implementação da metodologia KAIZEN™ nas equipas de gestão deve realizar-se em cinco etapas. Ei-las:

Nível 0: Leaders KAIZEN™ Planning – O processo arranca com o despertar das consciências relativamente à importância da definição do papel da gestão na cultura Kaizen. Logo após, segue-se o planeamento macro para a implementação do modelo Leaders Kaizen; 

Nível 1: Gestão Visual – Remete para a definição do espaço físico e/ou virtual que dará apoio à gestão visual, com o objetivo de melhorar a comunicação e iniciar a resolução de problemas. 

Nível 2: Comprometimento com o Gemba – Reporta-se à importância do terreno, com vista a melhorar a eficiência. Neste âmbito, deve preconizar-se a filosofia “go&see”, isto é, os executivos devem liderar a mudança através da realização de visitas frequentes aos locais de trabalho. Importa ainda focar junto das equipas de gestão média que o sucesso depende da cooperação ativa na promoção da mudança; 

Nível 3: Desdobramento e Implementação da Estratégia – Segue-se a melhoria do processo de desdobramento e implementação da estratégia, que contempla a definição de objetivos e métricas. Este desdobramento tem de garantir o alinhamento de toda a organização de forma a que os objetivos estratégicos/de negócio sejam atingidos.

Nível 4: Melhoria da Estratégia – Neste nível, pretende-se que as estratégias vigentes sejam desafiadas, com vista a melhor a sua formulação. 

 

[Este post foi originalmente publicado em www.dinheirovivo.pt]

Recent Posts

 

Está interessado nos serviços de consultoria do Kaizen Institute?

Ajudamos as equipas dos nossos clientes a melhorar os resultados, colocando em prática paradigmas inovadores.

Está interessado nos serviços de formação do Kaizen Institute?

O Kaizen Institute apresenta um programa diferenciador de treino que garante a aprendizagem da teoria através da prática, bem como visitas benchmark.

Newsletter

Receba todas as últimas novidades sobre o Kaizen Institute. Subscreva agora.

* campos obrigatórios

arrow up
>